23
fevereiro
2012
Iniciativa brasileira traz centenas de professores da educação pública de Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa para formação continuada no Ceará

 

Alguns dos professores participantes de seminário realizado no Centro Cultural Brasil Cabo Verde, na cidade da Praia, Cabo Verde em agosto de 2010, Projeto José Aparecido de Oliveira

 

O Programa Linguagem das Letras e dos Números (PLLN), mantido pelos Ministérios de Ciência, Tecnologia e Inovação, da Educação e das Relações Exteriores do Brasil para a formação continuada de professores africanos, já trouxe ao Brasil 426 professores, sendo 300 de Cabo Verde, 114 da Guiné-Bissau e 12 dos demais países de língua oficial portuguesa: Angola (4), Moçambique (4) e S. Tomé e Príncipe (4). Além disso, ofereceu cursos complementares em Cabo Verde para cerca de 90 professores de Língua Portuguesa, dentre os quais dois de Angola e um de Guiné-Bissau. Somando as atividades realizadas fora do Brasil, o PLLN beneficiou mais de 500 professores da educação básica dos países citados. Idealizado por Hélio Guedes de Campos Barros, assessor especial do MCTI, o PLLN abarca cursos de formação presencial com carga horária de quase 200 h/a cada um, realizados sempre em Fortaleza, CE, na segunda quinzena de julho e primeira quinzena de agosto desde 2008.

 

Em 2011, o PLLN realizou dois cursos destinados a professores do ensino secundário de Cabo Verde, a saber, a quarta edição do Projeto Amílcar Cabral de formação presencial de professores de Matemática de Cabo Verde, a terceira edição do Projeto José Aparecido de Oliveira de formação de professores de Língua Portuguesa de Cabo Verde. Além disso, promoveu a primeira edição do Projeto Colinas de Boé de formação presencial para 60 professores de ensino básico e anos iniciais do ensino secundário de Guiné-Bissau, reunindo de maneira inovadora professores e formadores de professores em educação linguística e matemática.

 

Os cursos de formação com ênfase na educação linguística tiveram início em 2009 sob a coordenação acadêmica de Margarete Schlatter e Pedro de Moraes Garcez, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em colaboração com Ana Célia Clementino Moura, da Universidade Federal do Ceará (UFC), Matilde Scaramucci, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Sonia Madi, do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC), entidade que executa a Olimpíada de Língua Portuguesa – Escrevendo o Futuro. Além desses, vem atuando como formadores outros docentes ligados à UFC e ao CENPEC, bem como docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e da Escola Projeto.

 

Os cursos de formação presencial foram desenhados para oferecer aos professores africanos a vivência de práticas pedagógicas e conteúdos atuais das disciplinas de Português e Matemática, além de informá-los sobre aspectos relevantes da cultura brasileira e colocá-los a par do projeto educacional brasileiro, inclusive na graduação e pós-graduação. Embora venham de estados membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), em que o português é a única língua oficial e a única língua escrita, esses professores atuam em contexto escolar de ensino público em sociedades multilíngues, em que o português é de fato uma língua adicional. Os cursos do PLLN oferecem de formação continuada desses educadores a partir da proposta de objetivos de ensino que buscam desenvolver o letramento e o numeramento, isto é, a educação linguística e matemática do cidadão contemporâneo, buscando refletir sobre formas de promover, na sala de aula e em outros cenários escolares, as condições necessárias para que os participantes, e depois seus alunos, possam engajar-se em atividades que demandam o uso da língua portuguesa em situações concretas, tratando de temáticas relevantes em seus contextos de atuação social.

 

Em 2012, o PLLN pretende novamente desenvolver atividades complementares em Cabo Verde e receber outros 100 professores de Angola e 110 de Cabo Verde em Fortaleza para novas edições dos cursos de formação presencial.

 

Revista criada pelos professores cabo-verdianos do PJAO: http://amilcarcabral.webnode.com.br/

 

Prof. Dr. Pedro Garcez (CNPq, UFRGS)