Assine a petição: EDUCAÇÃO LINGUÍSTICA NA INFÂNCIA: EM DEFESA DO DIREITO À FORMAÇÃO CIDADÃ E À APRENDIZAGEM

19/10/2020

Assine a petição: EDUCAÇÃO LINGUÍSTICA NA INFÂNCIA: EM DEFESA DO DIREITO À FORMAÇÃO CIDADÃ E À APRENDIZAGEM

Reivindicações:
  1. Demandar a criac¸a~o de condic¸o~es legais e institucionalizadas para a inserção do ensino de li´nguas estrangeiras/adicionais na matriz curricular dos anos iniciais da Educação Básica, no âmbito da escolarização regular pública e privada;
  2. Demandar o direito das comunidades escolares de escolha das línguas que integrarão o currículo, com base nas particularidades socioculturais dos contextos e coletivos envolvidos;
  3. Fomentar a inclusa~o de formac¸a~o em pre´-servic¸o e em servic¸o especi´fica para o exerci´cio da profissa~o com o pu´blico-alvo;
  4. Fomentar a ampliac¸a~o de pesquisas que discutam a formac¸a~o de professores pesquisadores e os especializem para uma atuac¸a~o transformadora em seu contexto de trabalho;
  5. Incentivar o desenvolvimento de mais pesquisas e estudos sobre o processo de ensino e aprendizagem de li´nguas estrangeiras/adicionais para crianc¸as, levando-se em conta seus diferentes segmentos - material dida´tico; avaliac¸a~o; curri´culo; propostas dida´ticas, tambe´m em sua interface com as tecnologias educacionais;
  6. Demandar a elaborac¸a~o de uma poli´tica educacional para o ensino de li´nguas estrangeiras/adicionais para crianc¸as, por meio de debate envolvendo associac¸o~es de professores de li´nguas e associac¸o~es existentes na a´rea das linguagens, em ni´vel municipal, estadual e nacional, bem como a participac¸a~o de diferentes segmentos da sociedade (escola, pais, pesquisadores, poder pu´blico, etc.);
  7. Demandar a elaborac¸a~o de uma poli´tica educacional para o ensino de li´nguas estrangeiras/adicionais para crianc¸as, com a participac¸a~o das comunidades envolvidas nesses contextos;
  8. Reconhecer, oficialmente, os cursos de Letras e suas respectivas habilitações como os responsáveis pela formação linguístico-pedagógica do profissional que atuará no ensino de línguas adicionais nos anos iniciais de escolarização;
  9. Recomendar a urgência da atualização dos cursos de Letras para atender às demandas profissionais contemporâneas;
  10. Oportunizar a atuação de graduandos dos cursos de Letras e suas respectivas habilitações em Programas como PIBID e Residência Pedagógica, bem como no estágio curricular supervisionado, inserindo-os como campo de formação para o ensino de línguas adicionais na infância;
  11. Incentivar a proposição e manutenção de projetos/programas de formação em serviço aos profissionais que atuam com esta clientela específica;
  12. Estabelecer dia´logos profi´cuos entre poder pu´blico, universidades e escolas para viabilizar formas de atender a` demandas futuras com maior solidez.
Para mais informaçõe, acesse: http://bit.ly/manifestoLEC